Cirurgia Genital Feminina

Sentir-se inibida sexualmente por causa do aspecto do órgão sexual há muito que deixou de ser um mal sem remédio. Apesar de algumas mulheres, por vergonha ou desconhecimento, ainda esconderem o problema, cada vez mais pessoas recorrem à cirurgia genital para recuperar a auto-estima perdida.

Graças à cirurgia genital é possível superar situações traumáticas, experiências negativas do parto, malformações genéticas ou conseguir o rejuvenescente vaginal.

Cirurgia Genital Feminina

BEM-ESTAR ILIMITADO

Tópicos

Continuar a Ler...

Por questões estéticas e funcionais, cada vez mais mulheres se submetem ao bisturi para recuperar a perfeição na zona mais íntima do corpo. Embora sejam mais procuradas por mulheres jovens, não existe uma idade definida para se resolver o que provoca mal-estar, o que incomoda e aquilo de que não se gosta.

Tal como qualquer outra parte do corpo, a vagina não está isenta de aspectos e considerações estéticas que podem ter reflexos na vida da mulher, nomeadamente no desempenho e satisfação sexual. A insatisfação com a imagem corporal é um dos aspectos que mais afecta a auto-estima e o relacionamento sexual, particularmente nas mulheres.

No pior das hipóteses essa insatisfação, que pode estar exclusivamente associada À forma, volume ou funcionamento dos genitais, é passível de conduzir ao evitamento sexual. Noutras ocasiões, o envolvimento sexual poderá ser marcado pela inibição, não existindo um focalizar no estímulo erótico, o que impossibilita o orgasmo.

ESTÉTICA OU FUNCIONAL

Existem cirurgias à medida de cada problema, inclusive para quem, por uma questão religiosa ou pessoal, quer recuperar a virgindade.

A hímenplastia é uma cirurgia peculiar que consiste em refazer o hímen, para um dia específica, pois tem que ser programada. É realizada dois ou três dias antes e só dura nesse dia específico , nas 48 ou 72 horas que se seguem à operação.

Quando existe acumulação de gordura na região púbica ou dos grandes lábios, a solução passa pela lipoescultura vaginal ou do púbis. Neste caso, remove-se, através da vibroliposucção, a gordura, que em excesso é inestética e considerada desagradável.

Para aumentar e dar volume aos grandes lábios, existe outro tipo de intervenção, lipofilling vaginal.

PRAZER

Embora as cirurgias íntimas possam contribuir para melhorar a qualidade de vida da mulher, deve evitar-se criar falsas expectativas ou querer resolver outros problemas através da cirurgia. A falta ou o aumento do prazer não passa, a maior parte das vezes, por um problema só físico, tendo de ser muitas vezes acompanhado por psicólogos ou com a ajuda de medicamentos ou suplementos alimentos.

AUTO-ESTIMA

Se para algumas mulheres as cirurgias genitais contribuem para o bem-estar físico e psicológico, em certas situações, os efeitos podem ser perversos. É o caso das mulheres que apenas procuram as cirurgias de rejuvenescimento vaginal porque não aceitam o envelhecimento.  A correcção cirúrgica estética dos genitais, cada vez mais frequente, tende a ter algum impacto positivo ao nível da auto-estima e autoconfiança, mas possibilita, nestes casos, sobretudo uma negação da realidade, quase sempre infrutífera no médio e longo prazo.

Por outro lado, o recurso à cirurgia por mulheres vítimas de traumas ou de malformações congénitas, para correcção cirúrgica funcional, por exemplo, na sequela de traumatismos genitais, faz todo o sentido para potencializar os mecanismos fisiológicos associados à resposta sexual, promovendo quer a funcionalidade quer a sensibilidade no local.

Compartilhar Artigo

Cirurgia Genital Feminina