Quando o lanche é um inimigo das crianças

Quando o lanche é um inimigo das criançasEle não come pão… Não gosta de fruta… E nem pensar em leite… Perante esta recusa opta por colocar na lancheira guloseimas, batata fritas, bolachas ou folhados? Pode parecer mais consensual, mas na verdade estas opções são ricas em gorduras saturadas, sal, açúcar, conservantes. Não acha que está na altura de mudar?

Tudo começa com a primeira refeição da manhã. A preguiça encurta o tempo para o pequeno-almoço! Contudo, importa reforçar, que esta refeição deverá garantir 20 a 25% do total da energia do dia, sendo que, nas crianças, devem ser consumidas 1.800 kcal por dia, das quais 360 kcal deverão ser ingeridas ao pequeno-almoço. Em cima da mesa deverão estar três grupos de alimentos: Lacticínios (leite meio-gordo, iogurte); Cereais integrais (cereais de pequeno-almoço, pão); Fruta (variar em função da época do ano). Mesmo que ele diga que não, insista! Por exemplo, sugira que seja ele, nas vésperas, a decidir o que vai comer e alterne as opções para não haver espaço para que diga “é sempre a mesma coisa!”.

As refeições a meio da manhã e da tarde, na escola, são os momentos certos para “recarregar as baterias” e fornecer ao organismo os nutrientes que o cérebro necessita para se manter atento e dinâmico. Nas escolas públicas do pré-escolar e do primeiro ciclo, e inserido no Programa do Leite Escolar, é assegurada a distribuição diária e gratuita de 1 porção (200 ml) de leite às crianças. É saudável e tem as doses certas de açúcar e cacau. Em muitas escolas, a fruta também faz parte da ementa dos lanches da manhã ou da tarde.

Aprender a gostar de tudo…

Continuar a Ler...

Compartilhar Artigo

Quando o lanche é um inimigo das crianças